quinta-feira, 2 de Dezembro de 2010

CAPACIDADES MOTORAS: VELOCIDADE

01/12/2010: Aula de Capacidades Motoras:
Capac. Motoras (3h)
9,30h/12,30h
Tema 2
Definições de velocidade e de resistência de velocidade

Relação com outras capacidades condicionais:

RESISTÊNCIA de VELOCIDADE:
Considerada a resistência à fadiga com cargas de velocidade submáxima a máxima, sendo a fonte energética predominantemente anaeróbia.
Capacidade de poder manter a fase de velocidade máxima durante um longo período de tempo.

RESISTÊNCIA de FORÇA:
Assenta na relação que se estabelece entre a capacidade física resistência e a capacidade de força. Acontece quando é necessário repetir esforços em regime de resistência que exigem determinados níveis de força.
Definições de velocidade
Treino de velocidade
VELOCIDADE

Conceito

Do ponto de vista da Física, a Velocidade (v) implica a rapidez com que um corpo faz um deslocamento. Portanto, depende de duas variáveis: espaço (e) percorrido e o tempo (t) necessário para o fazer.
V= e/t

Aceleração (a) = ∑v / ∑ t

A Velocidade do futebolista é uma capacidade múltipla. Não é composta apenas pela velocidade de reacção e de tratamento rápido das informações, das partidas e das corridas rápidas, a velocidade gestual ao controlar a bola, os sprints e travagens, mas também é pelo rápido reconhecimento e avaliação da situação. (Benedek e Palfai, 1980).

A velocidade do futebolista é composta por características parciais tais como: capacidade de realização, de antecipação, de decisão, de reacção, de movimento sem bola e gestual com bola.
VELOCIDADE

Conceito

A velocidade do futebolista é muito complexa e é composta por varas capacidades psico-físicas:
- Capacidade para realizar situações do jogo e as suas alterações no menor tempo possível = velocidade de realização;
- Capacidade para antecipar o desenvolvimento do jogo e especialmente o comportamento do adversário no menor tempo possível = velocidade de antecipação;
- Capacidade de decisão no menor tempo possível para uma possível acção = velocidade de decisão;
- Capacidade de reacção rápida a situações imprevistas durante o jogo = velocidade de reacção;
- Capacidade para realizar rapidamente movimentos cíclicos e acíclicos sem bola = velocidade de movimentos acíclicos e cíclicos;
- Capacidade de rápida execução de jogadas com bola, específicas do jogo, sob pressão de tempo e dos adversários = velocidade de aceleração;
- Capacidade de actuar o mais rapidamente possível e da forma mais eficaz possível durante o jogo, e sob de situações e condições técnico-tácticas complexas = velocidade gestual. Bauer (1990)
VELOCIDADE

Conceito

Só se todas as capacidades parciais estiverem bem desenvolvidas será possível desenvolver a velocidade.
A velocidade psico-cognitiva é a actuação rápida em determinada situação do jogo (capacidade de realização e antecipação) e na capacidade de decisão rápida sobre uma possibilidade de jogo (velocidade de decisão).
A reacção rápida instintiva em situações imprevistas durante o jogo são o que caracteriza especialmente o Guarda Redes. Chegar à bola implicar ter que efectuar movimentos sem pensar e sem os prever.
A capacidade de aceleração dependente da força (velocidade de movimento) do futebolista permite converter o que se imagina ou supõe em acções reais, para poder desembaraçar-se do adversário, aparecer em posições de jogo surpreendentes e perigosas para o Guarda-Redes.
VELOCIDADE

Velocidade de Percepção
O futebolista durante todo o jogo encontrar-se-á com uma grande quantidade de informação, principalmente visual e auditiva, que deverá filtrar e elaborar o mais rapidamente possível para continuar o jogo.

Velocidade de Antecipação
Capacidade do futebolista entender, baseando-se num prognóstico de percepção, e desenvolvimento e resultado de uma acção, mas também de poder programar o momento e frequência em que aparecerão determinados resultados.
A eficácia de muitas acções de jogo baseia-se no reconhecimento rápido da bola ou dos movimentos da bola, assim como dos jogadores adversário e dos seus colegas de equipa, já que a antecipação permite uma planificação da própria reacção.
VELOCIDADE

Velocidade de Reacção
A velocidade de reacção representa um dos factores decisivos da capacidade de rendimento do futebolista. O jogador de futebol necessita a capacidade de reacção para (Gabriel, 1991):
Como Guarda-Redes ou defesa em muitas situações de perigo de golo;
Em acções rápidas do adversário;
Ao fintar ou quando se tem que reagir a uma finta;
Ao tackling (entrada);
Ao fazer acelerações rápidas num espaço livre;
Ao tentar enganar o adversário (simulações);
Noutras situações inesperadas, como podem ser bolas perdidas, que voltem para o terreno de jogo após bater nos postes da baliza.
VELOCIDADE

Velocidade de Reacção
A velocidade de reacção, como resultado do reconhecimento de uma situação, da análise e do processo de decisão, refere-se às capacidades parciais da velocidade, concretamente à velocidade de percepção, a de antecipação e a de decisão. Juntamente com a velocidade de deslocamento é a capacidade parcial mais importante da velocidade.
VELOCIDADE

Velocidade de Aceleração
A velocidade de aceleração tem uma excepcional importância para o jogo de defesa e de ataque, para um comportamento eficaz em campo e representa uma boa prevenção de lesões (o que pode evitar o adversário, o que chega primeiro à bola, poderá afastar-se mais rapidamente dos possíveis ataques adversários).

A velocidade de aceleração, no futebol, é uma das características mais importantes juntamente com a capacidade de resistência geral e especial.
VELOCIDADE
RESISTÊNCIA de VELOCIDADE:
Capacidade de poder manter a fase de velocidade máxima durante um longo período de tempo.
O treino da Resistência de velocidade orientado para o Atletismo não é especialmente apropriado; pode ver-se o quão afastado está do futebol. Gerisch/Strauss, 1977, apresentavam os seguintes motivos:
O futebolista, normalmente, não pode fazer um sprint mais longo que 100 mts em linha recta ou sem encontrar obstáculos, de modo que a resistência de velocidade no sentido de resistência de sprint não pode ter a mesma importância que nos corredores de curtas distâncias;
A corrida do futebolista, na maioria dos casos, está marcada por muitas mudanças desde arranque em sprint, travagem e mudanças de direcção, fintas, entradas, transição ataque defesa, etc.;
O futebolista deverá terminar o sprint com determinada acção (exemp: passe, ultrapassagem do adversário, remate). Ao movimento cíclico de uma corrida seguir-se-á um movimento acíclico, o que implica que a velocidade de movimento para a frente deve poder transformar-se, o mais rapidamente possível, em velocidade de movimento de uma parte do corpo.
VELOCIDADE
RESISTÊNCIA de VELOCIDADE:
Um treino de resistência de velocidade efectuado mais que uma vez por semana piorará a resistência básica e portanto também as características tão necessárias para o futebolista, da velocidade e da força-velocidade, provocando um estado de sobretreino.
De acordo com Liesen, 1983, O perigo do sobretreino ou de “queimar um jogador” é muito grande, especialmente nos jogadores jovens e com talento que querem passar a jogadores profissionais, enquanto que outros jogadores mais velhos e mais experimentados já aprenderam a efectuar este tipo de treino de forma consequente, os mais jovens tentam chegar ao limite das suas forças. O “pagamento” disto não é um aumento da sua capacidade de rendimento mas sim uma baixa de forma crónica

Muitas vezes as bases físicas são insuficientes, não porque se treine demasiado pouco, mas sim porque se treinou de forma demasiado intensa no âmbito láctico (Liesen, 1983
VELOCIDADE

Métodos de Treino da Velocidade

MÉTODO DAS REPETIÇÕES:
método, por excelência de treino da velocidade. Garante uma recuperação óptima da capacidade de trabalho depois do exercício
Depois de exercícios curtos e explosivos 3-5 segundos, deverá efectuar-se uma recuperação activa 1-1,5 min.

MÉTODO INTERVALADO INTENSIVO:

MÉTODO DE DESENVOLVIMENTO DA VELOCIDADE INTEGRADO NO JOGO:
é muito importante a melhoria de todos os parâmetros da velocidade.
VELOCIDADE

Indicações metodológicas

O treino de velocidade deverá começar-se cedo (crianças em idade escolar);
Em todas as unidades de treino devem estar elementos de velocidade e de força-velocidade;
Para evitar lesões fazer um bom aquecimento;
O treino de velocidade deve ser feito no início da unidade de treino e em estado de repouso;
O treino de velocidade só é efectivo se for feito a um ritmo máximo;
Quando aparece o cansaço deve parar-se o treino de velocidade;
Ao fazer treino de força-velocidade e de velocidade deve ter-se em conta a relação exercício descanso;
Em equipas que treinem duas vezes por dia não deverá realizar-se um treino intenso de velocidade se de manhã o treino foi muito intenso;
Para evitar a estagnação o treino deverá ter uma forma variada;
Fazer esforço o mais próximos possíveis do exigido pelo jogo;
O treino de velocidade deve ter em conta outros factores como a força a flexibilidade;
Integrar a capacidade de sprint;
Deverá tentar-se superar os valores de velocidade e aceleração;
A dificuldade deverá ser incrementada de forma progressiva..
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

A parte principal dos exercícios orientados para a velocidade são exercícios fáceis de coordenação, os exercícios de velocidade de reacção e gestual com e sem bola e as formas mais complexas, técnico-tácticas, mais específicas do jogo.

Exercícios de coordenação para melhorar a técnica de corrida

Multissaltos;
Corridas em rampa;
“Seguir a Sombra” com diferentes variações de corrida;
Multissaltos passando a sprints;
Corrida de multissaltos (num sessão de treino 2-3 vezes -+ 30 mts);
Trabalho da a articulação do pé;
Skipings;
Correr elevando os calcanhares à nádegas;
Correr com a oposição de um companheiro;
Finta-saltos-sprintes;
“Ins Outs” (sprints de 30 mts – 40 mt a passo – 30 mts sprint)
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade
Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

Em geral pode dizer-se que os exercícios puros de aceleração são exercícios que treinam basicamente as componentes da velocidade. Estão em todas as sessões de treino. Mas devido ao pouco esforço que requerem devem dosear-se convenientemente. O treino de aceleração não dever ser feito sempre da mesma maneira em todas as sessões de treino, deve ser variado.

Variantes da execução de movimentos:
Parados, andando, fazendo marcha, uma corrida a subir, em zonas limitadas e com mudanças de velocidade, correr para a frente e para trás ou lateralmente;
Deitados no solo (decúbito dorsal; decúbito ventral, de lado); sentados; de cócoras, correr para a frente e para trás, juntar um salto ou uma pirueta no final.
As acelerações podem fazer-se em linha recta, em zig-zag, com mudanças de direcção, com ou sem exercícios adicionais.

Variantes dos sinais de início:

Sinais diferentes:
Chamar (nome; numero; cor);
Bater as palmas (uma ou várias vezes);
Apitar (uma ou várias vezes);
Objecto em movimento (bola, outro jogador).
VELOCIDADE
Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

As formas jogadas e os exercícios para melhorara a velocidade de reacção e/ou aceleração são uma parte muito importante do treino de Futebol.
O treinador deverá decidir quais o os exercícios e jogos mais indicados de acordo com a idade e o nível de treino.

Para melhorar a velocidade de aceleração com corridas em linha recta são apropriados os seguintes exercícios:
Corridas de ultrapassar (em duas filas, ao sinal, os dois últimos, em sprint passam para a frente das filas) Variante: slalon; volta sobre si próprio e slalon;

Sprints dois a dois (ao sinal partem dois de cada vez, 30 mts, intervalo 2’, 5-8 repetições);

Corridas com acelerações (dois a dois a trote, um arranca de repente e o outro tenta segui-lo. Após 2’ de pausa trocam de papeis, 3 repetições cada).

VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

Para o futebolista é muito importante efectuar corridas com mudanças de direcção, já que são características do jogo.

Alguns exemplos:
Corrida entre linhas (várias possibilidades);
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

Percursos com cones (treino de velocidade e força-velocidade


VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

Corridas de agilidade (duas corridas com pausas de dois minutos)

VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

Corridas em slalon

VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios sem bola para melhorar a velocidade de reacção e/ou aceleração.

“Branco e Negro” (partidas de várias posições);

Perseguição entre linhas: dois jogadores tentam chegar de uma linha à outra ao pé coxinho sem que os outros os apanhem. Cada jogador será perseguidor duas vezes. Nas pausas executar passe durante 1 minuto (ou marcha).
“Corrida atrás da sombra”,
Aceleração com fintas

VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios com bola para melhorar a velocidade de reacção, aceleração e gestual.

Para treinar a velocidade de movimento cíclico e acíclico e a velocidade de reacção, para haver uma optimização técnica deveriam efectuar-se frequentemente exercícios com bola, que além do mais comportam mais motivação.
Os jogos com bola e finta são muito adequados para melhorar a capacidade de acção com bola, uma capacidade muito importante para o ritmo de jogo.

Formas de exercício e jogos com bola: fintas com ritmo, fintas dois a dois com/sem acelerações:
Finta em sprint;
Condução de bola em sprint (20-40 mts);
Condução de bola rapidamente em slalon;
Corridas de perseguição;
“Quem chega primeiro”
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios com bola para melhorar a velocidade de reacção, aceleração e gestual.

Formas de exercício e jogos com bola: combinações aceleração-passe ou aceleração contacto com a bola:

Passes e sprints (duas filas dois a dois);
Passe-sprint receber a bola condução de bola;
“Futebol-Ténis” correndo até uma marca;
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas jogadas e exercícios com bola para melhorar a velocidade de reacção, aceleração e gestual.

Formas de exercício e jogos com bola: sprints e remate com o pé ou cabeça:

Aceleração e remate (variantes: começar de diferentes posições), dois a dois o que chegar primeiro remata;
Aceleração ao ouvir um sinal e remate, dois a dois de costas para a baliza;
Sprints com mudança de direcção e remate;
Condução remate, competição por equipas (duas equipas duas bolas o 1º que chegar a um local determinado pode rematar);
Sprints com remates de cabeça.
VELOCIDADE

Meios de treino da velocidade

Formas de exercício e jogos em forma de jogo

O s pequenos jogos reflectem em grande medida “a realidade do jogo”, no entanto, têm vantagem de facilitar a situação normal de jogo, mas também permitem melhorar a capacidade de velocidade.

A selecção destes jogos deverá efectuar-se tendo objectivos muito claros, para poder aumentar as múltiplas capacidades requeridas num jogo de Futebol.

6:6 ao longo de duas linhas; (golo quando se ultrapasse a linha com a bola);
5:5 com jogadores externos. 4 jogam e dois de cada equipa ficam nas laterais sem entrar no próprio campo;
6:6 com duas balizas em metade do campo.
Etc.

Sem comentários:

Enviar um comentário